sábado, 22 de dezembro de 2007

A todos os amigos do blog Taquara-Poca um Natal com muita paz e um Ano Nôvo cheio de saúde.


sábado, 1 de dezembro de 2007

Acatisia
A acatisia é uma condição psicomotora de inquietação, vontade incontrolável de movimentar-se e sensação interna de tensão, ao ponto do indivíduo não conseguir permanecer parado, sentado ou imóvel.Hoje, num corredor de hospital, um homem deambulava inquietamente, incessantemente, a poucos metros de mim. E eu, que no momento desconhecia a verdadeira causa daquele comportamento, dirigi-me a ele e pedi-lhe para se acalmar e se sentar numa cadeira ali perto.
O seu olhar fixou-se no meu como pedra. Um olhar duro e triste.
Pouco depois, tudo fez sentido na minha mente e percebi a tortura de um homem cansado de obedecer ao seu próprio corpo.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Júlia (Jujú)
Uma Great-Dane de 2 meses que chegou à Taquara-Poca no último dia 18.11
Muito meiga e amiga como todos desta raça. Amiga de Vitória e Loli.

terça-feira, 13 de novembro de 2007


Saudades de um neto.

Sou o neto mais velho de Vêlveda Castro Lima Lanat, Vódinha para todos os seus netos. No dia 12 de novembro fui visitá-la, levar algumas flôres e conversar um pouquinho com ela. Contei-lhe da saudade que sinto e também rememoramos algumas passagens da nossas vidas.
Lembramos da história de quando ela foi alfabetizada por uma professôra sisuda (como não poderia deixar de ser) que viúva usava um laçarote lilás no pescoço. Da sua merendeira que cheirava a manteiga e das horas intermináveis e aborrecidas que passava na escola.
Lembramos também da sua narrativa sôbre a última vez em que viu sua avó, com um vestido comprido que arrastava a bainha no chão e do chapéu com uma pena. Ela estava na janela e gritou: vovó! A vovó se virou e ela viu um semblante que só as avós têm. Era o ano de 1908, Vódinha tinha 5 anos.
De seu pai ela contava as peripécias, como uma vez em 1910 quando Salvador foi bombardeada, ele levou um tiro na Rua Chile. Morreu muitos anos depois, jovem, aos 48 anos.
Depois conversamos sobre tempos mais modernos conversa que tínhamos nos "almoços íntimos", que nada mais eram que o almôço servido em seu quarto quando ela não queria ir para a sala almoçar. Aí falávamos de plantações de alfaces, flôres e de um sem número de outros assuntos que me levariam a escrever dias a fio. Falava de política apaixonadamente mas sempre reservando um triste fim a estes parlapatas.
Contava-me também quando seu pai a imunizou contra a varíola e que em 1918 estava no dentista e viu passar os caixões de dezenas de vítimas da Gripe Espanhola. Eu escutava com a máxima atenção àqueles relatos de história viva. Me contou ela que uma vez descendo a Ladeira de São Bento assistiu a um discurso de Rui Barbosa que estava num carro conversível! Que mulher de sorte.
É isto, poderia passar horas e horas a descrever esta mulher à frente do seu tempo que tive a sorte de ter como avó. Mas vamos deixá-la descansando sob todas as cores que há nas flôres.
Um beijo Vódinha, seu neto Marcelinho.

domingo, 11 de novembro de 2007

Belo exemplar da Arte Cemiterial. Esta coruja em mármore encontra-se adornando um túmulo de meados do século XIX e representa a guardiã da noite, a sagacidade e a erudição.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

A cidade do Salvador.
Nasci e fui criado aqui na cidade do Salvador. Hoje tenho 52 anos e não deixo de ter e sentir uma certa nostalgia e até saudades do que esta cidade foi e o que ela representa para mim. A cidade do Salvador nunca foi somente um lugar de domicílio, muito, além disto, era o local que eu amava e sabia que também era amado por ela.
Nos idos dos anos 50 quando nasci não sei se Salvador chegava aos trezentos mil habitantes, hoje no início do século XXI já chega aos três milhões de habitantes e aí começa uma viagem nostálgica entre o que Salvador foi e é hoje.
Lembro-me muito bem que minha família até o final dos anos 50 tinha uma casa de veraneio na Pituba que era um local distante do centro e que se chegava lá depois de muitas derrapagens num caminho estreito de areia e queimava-se o pé se estivéssemos descalços. Lá passei vários fins-de-semana e me recordo do burrinho trazendo água para beber todo o final de tarde e os meses de fevereiro quando montavam em frente à nossa casa um parquinho tosco com vários brinquedos, um alto-falante tocando músicas aos berros e o cheiro das algas que rescendiam quando a maré estava enchendo. Quanta saudade!!! Até hoje trago na memória os cheiros deste tempo. Jamais consegui senti-los uma vez mais que seja. Hoje em dia este bairro cresceu, até casa de “strip-tease” tem e a rua de areia é conhecida hoje como Avenida Manoel Dias da Silva.
Parece-me que naqueles tempos idos sua população amava mais sua cidade, a cidade era pequena é bem verdade, mas havia nela uma aura de proteção, de despreocupação de cuidado de seus filhos para com ela e ela retribuía. Era linda, inocente, principalmente quando se vestia de noite e se perfumava com seus cheiros mais exóticos.
Passaram-se os anos e a cidade do Salvador que tem nome de homem, mas com certeza é mulher começou a ser tratada como uma cidade como outra qualquer. Começou o declínio da beleza, trocada por uma nova plástica onde não reconhecemos mais a bela mulher que um dia ela foi.
A aglomeração, a favelização a ganância, o pouco caso, políticos e administrações desastrosas tornaram a cidade da Bahia numa coisa amorfa, roubaram-lhe a personalidade. Da Ribeira a Praias do Flamengo que uns trinta quilômetros separam existiu um dia uma das mais belas paisagens de Salvador. Brigam agora o poder público e os barraquieros, numa luta que a perdedora será a cidade do Salvador, mas quem se importa se você quando vai à praia seja recebido por uma “bola perdida”, uma raquetada ou uma inocente peteca?
Se o banhista ainda tiver fôlego, sentarse-á numas daquelas inúmeras cadeiras de duvidosa higiene e ao invés de ouvir o murmúrio das ondas e a música da brisa ouvirá uma mistura de sons que vai do Axé music até Chopin e, diga-se de passagem, tudo isto a muitas oitavas acima.
A bela senhora entristeceu-se. Tem hoje a mesma cara das cirurgias plásticas que passeiam por aí. Ela não usa mais o seu leque mágico que refrescava as nossas tardes, tampouco ri de chorar para nos refrescar com seus aguaceiros inesperados.
E eu fico triste. Nostálgico com um tempo que ir a praia era pegar as ondas ou deitar-se nas suas poças de águas mornas.
Com saudades das suas belezas e cheiros os quais seus próprios filhos trataram de extinguir.
Desculpe cidade do Salvador, mas acho que nem todos souberam entender que você é vaidosa como toda mulher e quebraram o seu vidro de perfume.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007



A Carpa Gulosa.


Vinte e hum dias passou a criaturinha de boca aberta, num canto do lago, sem comer, numa posição quase vertical, posição inusitada aos peixes.
E eu angustiado sem saber o que fazer, pois nada entendo da saúde destas belas criaturas e, assim sendo nada podia fazer. Mas deixe lá que o ser humano é curioso e resolví de puçá e tudo apanhá-la, e de perto poder saciar minha curiosidade e diminuir minha angústia. Vejam bem 3 semanas não são 3 dias. Apanhei-a no meio da tarde, a boca imensa aberta feito um túnel. Coloquei sua boca na direção de um raio de sol. O olhar dela era triste e pensei: quando nada você vai descansar juntos aos outros bichinhos queridos, para morrer afogada você não volta!
Apurei a vista e lá dentro já presa a garganta estava o motivo da desordem. Uma pedra, sim um pedaço de pedra de 5cm que não a deixava comer nem respirar direito por 21 dias.
Pensei contente: "dos males o menor". Munido de uma pinça segurei a pobre criatura e de lá de dentro saquei os 21 dias de sofrimento.
Guardei a pedra, servirá de amuleto. A Carpa? Hoje nada graciosamente como se nada houvesse acontecido.

Eis as carpas

Material usado para remover a pedra(5cm.), a dita cuja, a pinça e a escala.

E é verdade.

No son los muertos los que en dulce calma la paz disfrutan de la tumba fría,
muertos son los que tienen muerta el almay viven todavía.
No son los muertos, no, los que reciben
Rayos de luz en sus despojos yertos,
los que mueren con honra son los vivos los que viven sin honra son los muertos.
La vida no es la vida que vivimos,
a vida es el honor y es el recuerdo.
Por eso hay muertos que en el mundo viven y hombres que viven en el mundo muertos.
(Antonio Muñoz Feijoo1851-1890Popayán, Colombia)

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Rapidinha

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."(F.S)

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Todas as Cartas de Amor são Ridículas

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.
A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)
A.C.

domingo, 21 de outubro de 2007

CERTEZA
(Fernando Sabino )

De tudo, ficaram três coisas:
A certeza de que ele estava sempre começando...
A certeza de que era preciso continuar...
A certeza de que seria interrompido antes de terminar....
Fazer da interrupção um caminho novo ...
Fazer da queda um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro...

sábado, 29 de setembro de 2007

Ricardo, querido cunhado.


A bela Marcela
"foi um quadro celestial"...
OS TRÊS AMORES I
Minh’alma é como a fronte sonhadora
Do louco bardo, que Ferrara chora...
Sou Tasso!... a primavera de teus risos
De minha vida as solidões enflora...
Longe de ti eu bebo os teus perfumes,
Sigo na terra de teu passo os lumes...
- Tu és Eleonora...
II
Meu coração desmaia pensativo,
Cismando em tua rosa predileta.
Sou teu pálido amante vaporoso,
Sou teu Romeu... teu lânguido poeta!...
Sonho-te às vezes virgem... seminua...
Roubo-te um casto beijo à luz da lua... -
E tu és Julieta...
III

O sangue ardente em minhas veias rola...
Sou D. Juan!... Donzelas amorosas,
Vós conheceis-me os trenos na viola!
Sobre o leito do amor teu seio brilha
Eu morro, se desfaço-te a mantilha
Tu és - Júlia, a Espanhola!...
Recife, Setembro de 1866.C.A.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Quase... (Luiz Fernando Veríssimo)

Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a
desilusão de
um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata
trazendo
tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga,
quem
quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase
amou não
amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos,
nunca sairão
do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às
vezes, o
que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto,
contesto.
A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos
sorrisos,
na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que
sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A
paixão
queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons
motivos
para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se
a
virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os
dias seriam
nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não
inspira,
não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro
de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao
alcance,
para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência
porém,
preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a
oportunidade
de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros
amores
impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou
economizar
alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe
que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de
tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando
que
sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque,
embora quem
quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Porque comer pimentas?

Chile-Head é uma expressão da língua inglesa que pode ser traduzida como "conhecedor de pimenta". Ser um Chile-Head é um negócio sério. Significa expressão e devoção a todas as coisas relacionadas às pimentas, não apenas "o quanto arde?, mas sua duração na boca, o sabor que permanece, o crescimento, o cultivo e a cozinha, entre outras. Mas o que existe de tão profundo em gostar de pimentas?
A razão é que quando se come pimentas um componente químico encontrado dentro delas, chamado de capsaicina, irrita células específicas do nosso organismo relacionadas à dor. Existem células receptoras da dor localizadas por toda a boca, nariz e garganta. Quando seus nervos captam a dor induzida pelo componente químico destas células, elas imediatamente começam a transmitir mensagens de dor para seu cérebro.
Seu cérebro recebe estes sinais e respondem automaticamente produzindo endorfinas (nosso combatente natural para a dor) . Essas endorfinas agindo contra a dor, ao mesmo tempo, criam uma sensação temporária de euforia, dando a pessoa que come pimentas, uma sensação de bem estar.
Outras respostas do organismo incluem aumento do batimento cardíaco, aumento do metabolismo, aumento da salivação para tentar refrescar a boca e aumento da sudorese. Seu nariz também começa a escorrer e o trato gastrointestinal trabalha com maior velocidade. Amantes de comidas quentes e condimentadas logo começam a desejar sempre estas sensações quando comem e são logo apanhadas comendo mais pimentas.
Muito científico, então esqueça e apenas aproveite o sabor ardente deste condimento e faça sua refeição apenas pelo prazer!

sexta-feira, 10 de agosto de 2007


PÁLIDA E LOIRA (António Feijó 1859-1917)
Morreu. Deitada no caixão estreito,
Pálida e loira, muito loira e fria,
O seu lábio tristíssimo sorria
Como num sonho virginal desfeito.

- Lírio que murcha ao despontar do dia,
Foi descansar no derradeiro leito,
As mãos de neve erguidas sobre o peito,
Pálida e loira, muito loira e fria...

Tinha a cor da rainha das baladas
E das monjas antigas maceradas,
No pequenino esquife em que dormia...

Levou-a a morte na sua graça adunca!
E eu nunca mais pude esquece-la, nunca!
Pálida e loira, muito loira e fria...
(António Feijó, in Líricas e Bucólicas, 1884
)
Curiosidade:
Nasceu em Ponte de Lima. Diplomata de carreira, viveu vários anos no Brasil e na Suécia, onde veio a morrer. Muito versátil, dando largas a uma sensibilidade delicada e mórbida, Feijó faz com que na sua poesia confluam muitas das tendências do século XIX, embora seja predominantemente um tom de orientalista simbolista que o aproxima de Camilo Pessanha.
Casou-se com uma moça da família Levin na Suécia para quem fez estes versos post-mortem.
Esta mesma família Levin tem ainda seus descendentes dos quais faço parte.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007


Arnaldo Jabor

-Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca.
Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;
Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;
Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade...
Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária. É coisa de gente otária.
-Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão.-Fazer piadinha com as imundícies que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.
Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai. Brasileiro tem um sério problema. Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo. -Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.Brasileiro é vagabundo por excelência. - O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.
Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.
Brasileiro é um povo honesto. Mentira. - Já foi; hoje é uma qualidade em baixa. - Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso. Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira. - Já foi. Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da Guerra do Paraguai ali se instalaram. Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime. Hoje a realidade é diferente. Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como "aviãozinho" do tráfico para ganhar uma grana legal. Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas. Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas. O Brasil é um pais democrático. Mentira. Num país democrático a vontade da maioria é Lei. A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.
Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia. Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita. Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores). Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.
Democracia isso? Pense !O famoso jeitinho brasileiro.Na minha opinião um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira. Brasileiro se acha malandro, muito esperto. Faz um "gato" puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto...malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí? Afinal somos penta campeões do mundo né? Grande coisa... O Brasil é o país do futuro. Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos. Dessa vergonha eles se safaram... Brasil, o país do futuro!? Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo. Deus é brasileiro. Puxa, essa eu não vou nem comentar...O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.
Para finalizar tiro minha conclusão:
O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de
apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente. Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta. Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?
FAÇA A SUA PARTE .







segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Tópico filosófico do dia.
"...desgraçadas genitoras, de tristeza e decepção os filhos também morrem".

sábado, 4 de agosto de 2007

... e o mundo mudou desde este anúncio. Para melhor?





DALILA

Fair defect of nature

MILTON — Paradise Lost

Foi desgraça, meu Deus!... Não!... Foi loucura
Pedir seiva de vida — à sepultura,
Em gelo — me abrasar,
Pedir amores — a Marco sem brio,
E a rebolcar-me em leito imundo e frio
— A ventura buscar.

Errado viajor — sentei-me à alfombra
E adormeci da mancenilha à sombra
Em berço de cetim...
Embalava-me a brisa no meu leito...
Tinha o veneno a lacerar-me o peito
— A morte dentro em mim...

Foi loucura!... No ocaso — tomba o astro;
A estátua branca e pura de alabastro
— Se mancha em lodo vil...
Quem rouba a estrela — à tumba do ocidente?
Que Jordão lava na lustral corrente
O marmóreo perfil?...

.......................................................................

Talvez!... Foi sonho!... Em noite nevoenta
Ela passou sozinha, macilenta,
Tremendo a soluçar...
Chorava — nenhum eco respondia...
Sorria — a tempestade além bramia...
E ela sempre a marchar.

E eu disse-lhe: Tens frio? — arde minha alma.
Tens os pés a sangrar? — podes em calma
Dormir no peito meu.
Pomba errante — é meu peito um ninho vago!
Estrela — tens minha alma — imenso lago —
Reflete o rosto teu!. . .

E amamos — Este amor foi um delírio...
Foi ela minha crença, foi meu lírio,
Minha estrela sem véu...
Seu nome era o meu canto de poesia,
Que com o sol — pena de ouro — eu escrevia
Nas lâminas do céu.

Em seu seio escondi-me... como à noite
Incauto colibri, temendo o açoite
Das iras do tufão,
A cabecinha esconde sob as asas,
Faz seu leito gentil por entre as gazas
Da rosa do Japão.

E depois... embalei-a com meus cantos
Seu passado esqueci... lavei com prantos
Seu lodo e maldição...
... Mas um dia acordei... E mal desperto
Olhei em torno a mim. . . — Tudo deserto...
Deserto o coração...

Ao vento, que gemia pelas franças
Por ela perguntei... de suas tranças
À flor que ela deixou...
Debalde... Seu lugar era vazio...
E meu lábio queimado e o peito frio,
Foi ela que o queimou...

Minha alma nodoou no ósculo imundo,
Bem como Satanás — beijando o mundo —
Manchou a criação,
Simum — crestou-me da esperança as flores...
Tormenta — ela afogou nos seus negrores
A luz da inspiração ...

Vai, Dalila!... É bem longa tua estrada...
É suave a descida — terminada
Em báratro cruel.
Tua vida — é um banho de ambrosia...
Mais tarde a morte e a lâmpada sombria
Pendente do bordel.

Hoje flores... A música soando...
As perlas do Champagne gotejando
Em taças de cristal.
A volúpia a escaldar na louca insônia...
Mas sufoca os festins de Babilônia
A legenda fatal.

Tens o seio de fogo e a alma fria.
O cetro empunhas lúbrico da orgia
Em que reinas tu só!...
Mas que finda o ranger de uma mortalha,
A enxada do coveiro que trabalha
A revolver o pó.

Não te maldigo, não!... Em vasto campo
Julguei-te — estrela, — e eras — pirilampo
Em meio à cerração...
Prometeu — quis dar luz à fria argila...
Não pude... Pede a Deus, louca Dalila,
A luz da redenção!! ...

Recife — 1864. C.A.

segunda-feira, 30 de julho de 2007


Ingmar Bergman död
(Morre Ingmar Bergman)
Triste dia para o cinema mundial, aos 89 anos morre o cineasta sueco Ingmar Bergman em sua casa em Farö, Suécia. Criador de espetáculos como "Morangos Silvestres" em que trata do difícil tema da morte e do lírico "Fanny e Alexander" dentre muitos outros, deixa uma lacuna difícil de ser preenchida.
(Regissören Ingmar Bergman har avlidit, säger hans dotter Eva Bergman. Han dog i sitt hem på Fårö 89 år gammal. "Han var den störste konstnären Sverige har haft", säger Åse Kleveland.)

domingo, 29 de julho de 2007

Opinião:

Nada de inesperado aconteceu, somente fico imaginando o porque de tantas pessoas comuns, estadistas e políticos darem extremo realce a Fidel Castro e ao seu regime de fome e terror.
De repente me deparo com presidentes de nações, como por exemplo o Brasil, à quedarem-se encantados com um país retrógrado, matricida, onde uma opinião contrária ao seu "dono" leva o infeliz a sofrer os mais hediondos tipos de perseguição e morte.
Se lá na ilhota é tão bom viver, porque fogem centenas e centenas de cubanos para os EUA ou para a barriga dos tubarões? Parece que é melhor viver na clandestinidade em países outros e tornarem-se comida de peixes a viver mendigando dólares de turistas e comprando comida determinada pelo governo.
Ontem a vergonha tornou a ser a bandeira cubana, quando sua delegação no Pan-Rio 2007 não esperou nem pelas medalhas de bronze a que faziam jus nem pelo encerramento dos jogos, neste domingo 29.07. Fugiram todos aos trambolhões, como quem rouba, deixando para trás a certeza de que o regime paleolítico do senhor Castro é uma vergonha cósmica.

Marilyn Monroe
(1926-1962)

Marilyn nasceu no Hospital Geral do Condado de Los Angeles.
Como sua mãe era muito doente, ela foi enviada para um orfanato,de onde saiu para ser entregue a pais adotivos quando já tinha idade suficiente para varrer e lavar pratos.
Quando tinha quinze anos, já havia morado com onze famílias diferentes.
Pouco depois de completar 16 anos,Marilyn casou-se com James Dougherty no dia 19 de junho de 1942.A família Dougherty era vizinha dos pais adotivos com quem Marilyn estava.Ela gostava de Jim e o casamento permitiria que ela tivesse o seu próprio lar e a segurança que ele forneceria.
Quando Jim foi chamado para o serviço militar, Marilyn foi procurar trabalho.
Foi na fábrica Radio Plane,onde montava hélices, que o fotógrafo profissional David Conover descobriu Marilyn, que na época ainda se chamava Norma Jean Dougherty.
Quando Marilyn contou ao fotógrafo que seu desejo era tornar-se estrela de cinema,ele explicou que o melhor caminho era tornar-se modelo.
Ela procurou a Blue Book Modeling and Studio Agency onde conheceu Emmeline Snively,que lhe disse que se ela pretendia ser atriz em Hollywood,deveria voltar a ser solteira.Também foi ela que sugeriu a Marilyn trocar a cor dos cabelos de castanhos para loiro platinado.Ela virou modelo em tempo integral e sua imagem apareceu em várias capas de revistas, o que chamou a atenção do magnata Howard Hughes.
Marilyn foi chamada pelo chefe da agência de novos talentos da Fox,Ben Lyon. Foi ele quem escolheu o nome Marilyn e ela escolheu Monroe, que era o sobrenome de sua avó.
Sua estréia foi em Tormentas de Ódio. Depois apareceu em Idades Perigosas mas não obteve mais nenhum papel e seu contrato foi rescindido.
Contratada pela Columbia por seis meses, foi dispensada depois de Mentira Salvadora.Seu agente,Harry Lipton conseguiu-lhe um papel em Loucos de Amor, dos irmãos Marx.
Novamente ficou sem emprego, o que fez com que aceitasse posar para o ensaio fotográfico que ficou famoso,a foto nua sobre o fundo vermelho. Pelo trabalho, recebeu 50 dólares.
Sua aparição no filme dos irmãos Marx impressionou um dos poderosos agentes de Hollywood, Johnny Hyde, que arranjou o teste para o papel da amante de Louis Calhern em O Segredo das Jóias. O resultado foi a assinatura de um novo contrato de sete anos com a Fox.
Conseguiu outro papel em A Malvada e enquanto filmava Almas Desesperadas, o estúdio descobriu a foto do calendário.Quando Marilyn revelou que havia feito o trabalho por necessidade de dinheiro, o público ficou comovido pelo passado trágico da atriz, em vez de condená-la publicamente.
Em seguida, trabalhou em Torrentes de Paixão , Como Agarrar um Milionário e Os Homens preferem as Loiras, que tem o número clássico de Marilyn com o vestido cor-de-rosa cantando que os diamantes são os melhores amigos de uma garota.
Em 1952 ,Marilyn conheceu o ex-jogador de beisebol Joe DiMaggio e dois anos depois se casou com ele, mas o conflito entre a vida caseira e a carreira chegou ao limite durante as filmagens de O Pecado mora ao Lado.
A cena em que o vento levanta a sua saia foi o limite para o ciumento DiMaggio e o casamento acabou.Marilyn tinha prestígio de estrela, mas não era levada a sério como atriz e estava irritada com os pápeis de "loira burra"que recebia. Ela partiu para Nova York ,onde virou aluna do Actors Studio, mas o método de Lee Strasberg que envolvia a análise do interior do ator foi nocivo para ela, só aumentando suas inseguranças pessoais.
O romance com Arthur Miller, autor de Morte do Caixeiro Viajante e As Bruxas de Salém levou ao casamento em 1956.
Através da sua companhia,a Marilyn Monroe Productions, fez O Príncipe e a Corista, dirigido e protagonizado por Laurence Olivier.
O filme não foi um sucesso e Marilyn retornou a Los Angeles e fez aquele que é considerado seu melhor trabalho, Quanto mais Quente Melhor, com Jack Lemmon e Tony Curtis.
Nos bastidores de Adorável Pecadora, ela conheceu o galã francês Yves Montand, eles tiveram um romance passageiro que o ator definiu como "uma atração infantil de Marilyn".
Durante a filmagem de Os Desajustados, o casamento com Miller terminou. Ele adaptara sua peça especialmente para ela, que contracenou com seu ídolo de infância Clark Gable. Mas Marilyn estava em sua pior fase, com atrasos constantes e dependente de soníferos e álcool.
Para piorar, depois do término das filmagens Gable faleceu e a imprensa a acusou de ser responsável pelo enfarte do ator.
Ela teve um colapso nervoso e internou-se numa clínica.Ligou para Joe DiMaggio que a levou para um hospital e aparentemente recuperada, comprou uma casa em Brentwood,um bairro de Hollywood.
Era 1962, e ela havia recuperado sua boa forma,começando a trabalhar em Something's Gotta Give.Mas enfureceu os produtores quando entregou uma licença médica justificando sua ausência nas filmagens enquanto estava no Madison Square Garden, cantando o Parabéns pra você para o presidente John Kennedy.Aliado aos seus atrasos e dificuldade de lembras suas falas, ela foi demitida e o filme interrompido.
Seu envolvimento com John Kennedy começou depois que eles foram apresentados por Peter Lawford, casado com a irmã do presidente, Pat. Famoso mulherengo, John dispensou Marilyn e enviou o irmão Bobby para acalmá-la, que também teve um romance com ela. Como ele também era casado,logo terminou seu caso com ela, que ficou desesperada.
Marilyn foi encontrada pela secretária Eunice Murray,estava na cama, de bruços, com o fone fora do gancho nas mãos. A dose letal de nembutal que teria tomado foi dada como causa da morte. Até hoje existem dúvidas se foi acidente ou assassinato, motivado por suas ligações com os Kennedy.
Quem cuidou do enterro foi Joe DiMaggio, que foi seu amigo até o fim.Mandou que depositassem rosas vermelhas no túmulo de Marilyn três vezes por semana, para sempre...

sábado, 21 de julho de 2007

A Bahia a ACM, querido filho:

" O futuro... o futuro.... no seu seio...
Entre louros e bençãos dorme a glória!"
C.A.
Estátua da Fé.
(1861)A Arte Cemiterial.
Na arte cemiterial, a vida eterna, a morte, a fé, a ascensão ao céu, etc. estão representadas através de elementos simbólico-arquitetônicos de diversas origens culturais (egípcia, grega, romana, oriental, etc.) . Por isso muitas vezes, um mesmo elemento pode ter diferentes significados.

Colunas, elementos arquitetônicos, quando vazadas significam a eternidade; quando intergram a estrutura de um mausoléu, significam guardiãs da vida eterna. A figura do homem sem camisa, com martelo, simboliza a morte ceifando a vida. A simbologia das asas está ligada à inocência e à pureza dos anjos, e assim por diante.

No mausoléu de Gersino Coelho, o homem alado, ajoelhado, tendo próximos os livros "Lex" e "Pátria", simboliza a personalidade de um homem que se dedicou à justiça e a pátria.

No mausoléu encimado pela Estátua da Fé, os elementos decorativos significam: coroa com louros-vitória-; cruz-Fé; Coração de Jesus- amor e compaixão; âncora-segurança e firmeza; cálice- glória celestial.

(Reproduzido do livreto Campo Santo, personagens, arte e cultura)

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Central do Brasil
Um dos melhores filmes brasileiros, pelo tratamento recebido em termos de sensibilidade.
Uma "escritora" de cartas da estação ferroviária do Rio de Janeiro, Dora,(Fernanda Montenegro) se vê subitamente numa viagem em busca dos pais de Josué (Vinícius de Oliveira) pelo nordeste e ao mesmo tempo desfaz-se de sua capa de megera. Bela metamoforse, num desempenho fabuloso desta artista que "sente saudades de tudo".(1998)

quarta-feira, 18 de julho de 2007

...e os que ficaram perguntam: (pelos passageiros da TAM e por todos nós.)
Mas por que tardas?... Vem! É tarde! Por que tardas?
São horas de brando sono,
Vem reclinar-te em meu peito
Com teu lânguido abandono! ...
'Stá vazio nosso leito...
'Stá vazio o mundo inteiro;
E tu não queres qu'eu fique
Solitário nesta vida...
Já tenho esperado assaz...
Vem depressa, que eu deliro
Oh! minha gente, onde está? ...

sábado, 14 de julho de 2007


Aviso aos navegantes.

Depois das declarações do Lula sobre "mulher deve ser dengosa com o seu homem, senão ele põe o cuecão e volta a dormir".....Depois da ministra do turismo, a dona Marta Suplicy mandar a população que perde vôos, "relaxar e gozar"....Depois do Renan Calheiros, usar seu dinheiro (do seu imposto, caro contribuinte) para pagar suas escapadinhas de um casamento monótono....Depois do irmão do Lula virar apenas "ingênuo", quando confabulava nos bastidores para se apropriar da grana alheia...Depois de tanta gente ser inocentada e até reeleita como o Valdemar daCosta Neto e outros....Independente do partido político que vocês sejam simpatizantes, é preciso divulgar essa notícia e se indignar, pois voltar à ditadura será o fim da picada, nesta altura de nossas vidas!!!Parece que estamos sob novo AI-5, neste governo do Lula:O Boris Casoy foi calado, despedido por ordem do Lula. O Jabor foi processado, condenado, calado por ordem do Lula.A imprensa divulgou a sentença que condenou o Jabor a pagar indenização por danos morais, dois dias antes do Juiz assinar a sentença.Agora o Jabor foi calado na CBN.O Diogo Mainardi, além de processado, sofreu ameaças de morte no jornal doMR-8 (da base aliada do Lula).Há Medida Provisória enviada pelo Lula ao Congresso, instituindo a censura prévia aos programas de radio e TV.Os censores já estão nomeados.Agora só faltam as torturas e desaparecidos.NÓS BRASILEIROS E PATRIOTAS, DEVERÍAMOS SER 160 MILHÕES DE JABORES PARA GRITAR CONTRA ESSA BADERNA POLÍTICA E TANTOS DESMANDOS QUE EXISTEM NOS PODERES DA REPÚBLICA!Tem cheiro de ditadura no ar! Comentário de Dora Kramer, Estadão de Domingo:"A decisãodo TSE que determinou a retirada do comentário de Arnaldo Jabor do site da CBN, a pedido do presidente 'Lula' até pode ter amparo na legislação eleitoral, mas fere o preceito constitucional da liberdade de imprensa e de expressão, configurando-se, portanto, um ato de censura."Em outro trecho:"Jabor faz parte de uma lista de profissionais tidos pelo Presidente Lula como desafetos e, por isso, passíveis de retaliação à medida que se apresentem as oportunidades!" "Não deixem de ler, reler, o texto abaixo e passem adiante"!!!!!!A VERDADE ESTÁ NA CARA, MAS NÃO SE IMPÕE (ARNALDO JABOR) O que foi que nos aconteceu?No Brasil, estamos diante de acontecimentos inexplicáveis, ou melhor,"explicáveis" demais.Toda a verdade já foi descoberta, todos os crimes provados, todas as mentiras percebidas.Tudo já aconteceu e nada acontece. Os culpados estão catalogados, fichados, e nada rola.A verdade está na cara, mas a verdade não se impõe.Isto é uma situação inédita na História brasileira.Claro que a mentira sempre foi a base do sistema político, infiltrada no labirinto das oligarquias, claro que não esquecemos a supressão, aproibição da verdade durante a ditadura, mas nunca a verdade foi tão límpida à nossa frente e, no entanto, tão inútil, impotente,desfigurada.Os fatos reais: com a eleição de Lula, uma quadrilha se enfiou no governo e desviou bilhões de dinheiro público para tomar o Estado e ficar no poder 20 anos.Os culpados são todos conhecidos, tudo está decifrado, os cheques assinados, as contas no estrangeiro, os tapes, as provas irrefutáveis, mas o governo psicopata de Lula nega e ignora tudo.Questionado ou flagrado, o psicopata não se responsabiliza por suas ações. Sempre se acha inocente ou vítima do mundo, do qual tem de se vingar.O outro não existe para ele e não sente nem remorso nem vergonha do que faz.Mente compulsivamente, acreditando na própria mentira, para conseguir poder.Este governo é psicopata!!!Seus membros riem da verdade, viram-lhe as costas passam-lhe a mão nas nádegas.A verdade se encolhe, humilhada, num canto. E o pior é que o Lula, amparado em sua imagem de "povo", consegue transformar a Razão em vilã, as provas contra ele em acusações "falsas", sua condição de cúmplice e Comandante em "vítima".E a população ignorante engole tudo. Como é possível isso?Simples: o Judiciário paralítico entoca todos os crimes na Fortaleza da lentidão e da impunidade. Só daqui a dois anos serão julgados os indiciados - nos comunica o STF.Os delitos são:esquecidos, empacotados, prescrevem.A Lei protege os crimes e regulamenta a própria desmoralização.Jornalistas e formadores de opinião sentem-se inúteis, pois a indignação ficou supérflua. O que dizemos não se escreve, o que escrevemos não se finca, tudo quebra diante do poder da mentira desse governo.Sei que este é um artigo óbvio, repetitivo, inútil, mas tem de ser escrito....Está havendo uma desmoralização do pensamento - Deprimo-me:" Denunciar para quê, se indignar com quê? Fazer o quê?".A existência dessa estirpe de mentirosos está dissolvendo a nossa língua. Este neocinismo está a desmoralizar as palavras, os raciocínios.A língua portuguesa, os textos nos jornais, nos blogs, na TV, rádio, tudo fica ridículo diante da ditadura do lulo-petismo.A cada cassado perdoado, a cada negação do óbvio, a cada testemunha,muda,aumenta a sensação de que as idéias não correspondem mais aos fatos!Pior: que os fatos não são nada - só valem as versões, as manipulações. No último ano, tivemos um único momento de verdade, louca, operística,grotesca, mas maravilhosa, quando o Roberto Jefferson abriu a cortina do país e deixou-nos ver os intestinos de nossa política. Depois surgiram dois grandes documentos históricos: o relatório da CPI dos Correios e o parecer do procurador-geral da República. São verdades cristalinas, com sol a pino.E, no entanto, chegam a ter um sabor quase de "gafe". Lulo-Petistas clamam: "Como é que a Procuradoria Geral, nomeada pelo Lula, tem o desplante de ser tão clara! Como que o Osmar Serraglio pode ser tão explícito, e como o Delcídio Amaral não mentiu em nome do PT? Como ousaram ser honestos?".Sempre que a verdade eclode,reagem.Quando um juiz condena rápido, é chamado de "exibicionista".Quando apareceu aquela grana toda no Maranhão (lembram, filhinhos?), a família Sarney reagiu ofendida com a falta de "finesse" do governo de FHC, que não teve a delicadeza de avisar que a polícia estava chegando...Mas, agora é diferente, as palavras estão sendo esvaziadas de sentido Assim como o stalinismo apagava fotos, reescrevia textos para contestar seus crimes, o governo do Lula está criando uma língua nova,uma neo-língua empobrecedora da ciência política, uma língua esquemática, dualista, maniqueísta, nos preparando para o futuro político simplista que está se consolidando no horizonte. Toda a complexidade rica do país será transformada em uma massa de palavras de ordem, de preconceitos ideológicos movidos a dualismos e oposições, como tendem a fazer oPopulismo e o simplismo.Lula será eleito por uma oposição mecânica entre ricos e pobres,dividindo o país em "a favor" do povo e "contra", recauchutando significados que não dão mais conta da circularidade do mundo atual. Teremos o "sim" e o "não", teremos a depressão da razão de um lado e a psicopatia política de outro, teremos a volta da oposição MundoxBrasil, nacional x internacional e um voluntarismo que legitima o governo de um Lula 2 e um Garotinho depois. Alguns otimistas dizem:"Não... este maremoto de mentiras nos dará uma fome de Verdades"!

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Doutor Jivago

O ano era 1965, quando um dos filmes mais aclamados do mundo seria lançado. A saga do Dr. Jivago na Rússia bolchevique, levou milhões e milhões de pessoas aos cinemas por todo o mundo,(exceto na Rússia, é claro). Baseado num romance de Bóris Pasternak Dr. Jivago posiciona-se num mundo à beira de mudanças, o czar Nicolau é destituído do trono iniciando uma nova era onde tudo foi mudado radicalmente. Prova-nos a história que a mudança não foi para melhor. Casado com Tonya (Geraldine Chaplin) mantém um romance com a belíssima Lara (Julie Christie) vivendo um jôgo de culpa e remorso sem conseguir tomar atitude alguma para melhorar seu sofrimento, pelo contrário cada vez mais emaranhado-se nele.Com imagens belíssimas e uma trilha sonora não menos sensível de Maurice Jarre, Doutor Jivago será eterno.

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Ao poeta maior da Bahia.
Antônio Frederico de Castro Alves, nasceu na Bahia no dia 14 de março de 1847 e faleceu a 06 de julho de 1871, vítima de tuberculose. No seu aniversário de morte há 136 anos atrás este Blog não poderia deixar de homenageá-lo, ele que foi, nos 24 anos de sua existência um dos maiores poetas românticos do Brasil. Deixou incontáveis poesias, sendo que, em quase todas elas a sua obssesão pela morte está presente.
Seus casos amorosos foram numerosos e ruidosos, infelizmente a tragédia sempre o abatia. Passados todos estes anos ele continua vivo nos corações e mentes daqueles que amam e talvez não necessariamente sejam amados.
"Adeus, pálida amante dos meus sonhos!
Adeus, vida! Adeus, glória! amor! anelos!
Escuta, minha irmã, cuidosa enxuga
Os prantos de meu pai nos teus cabelos.
Fora louco esperar! fria rajada
Sinto que do viver me extingue a lampa...
Resta-me agora por futuro — a terra,
Por glória - nada, por amor — a campa.
Adeus... arrasta-me uma voz sombria,
Já me foge a razão na noite fria!..."
(Trecho da poesia Mocidade e Morte)

sábado, 7 de julho de 2007

Minha raízes são longas...

Ela está crescendo...


BALÕES E DESILUSÕES

"Junto aos Armazéns do Grandella havia um homem a vender balões, e, fosse por tê-lo eu pedido (do que duvido muito, porque só quem espera que se lhe dê é que se arrisca a pedir), fosse porque minha mãe tivesse querido, excepcionalmente, fazer-me um carinho público, um daqueles balões passou à minha mão. Não me lembro se ele era verde ou vermelho, amarelo ou azul, ou branco simplesmente. O que depois se passou iria apagar para sempre da minha memória a cor que deveria ter-me ficado pegada aos olhos para sempre, uma vez que aquele era nada mais nada menos que o meu primeiro balão em todos os seis ou sete anos que levava de vida. Íamos nós no Rossio, já de regresso a casa, eu impante como se conduzisse pelos ares, atado a um cordel, o mundo inteiro, quado, de repente, ouvi que alguém se ria nas minhas costas. Olhei e vi. O balão esvasiara-se, tinha vindo a arrastá-lo pelo chão sem me dar conta, era uma coisa suja, enrugada, informe, e dois homens que vinham atrás riam-se e apontavam-me com o dedo, a mim, naquela ocasião o mais ridículo dos espécimes humanos. Nem sequer chorei. Deixei cair o cordel, agarrei-me ao braço da minha mãe como se fosse uma tábua de salvação e continuei a andar. Aquela coisa suja, enrugada e informe era realmente o mundo."

José Saramago in As Pequenas Memórias

sexta-feira, 6 de julho de 2007

Para refletir...

No son los muertos los que en dulce calma
la paz disfrutan de la tumba fría,
muertos son los que tienen muerta el alma
y viven todavía.
No son los muertos, no,
los que reciben
Rayos de luz en sus despojos yertos,
los que mueren con honra son los vivos
los que viven sin honra son los muertos.
La vida no es la vida que vivimos,
la vida es el honor y es el recuerdo.
Por eso hay muertos que en el mundo viven
y hombres que viven en el mundo muertos.

(Antonio Muñoz Feijoo1851-1890Popayán, Colombia)

quinta-feira, 5 de julho de 2007

Estes lírios perfumam as tardes...


Este Drácula de Coppola é na minha opinião o melhor e o mais bem produzido de todos. Lançado em 1992, ganhou o Oscar pela maquiagem, efeitos especiais e sonoros. Numa atmosfera beirando o gótico, vive o vampiro atormentado por sua eternidade e pela busca do amor. Torço por ele, sempre.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

misteriosa!
Cada dia mais linda.



"Certezas
Não quero alguém que morra de amor por mim...Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...E que esse momento será inesquecível..Só quero que meu sentimento seja valorizado.Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...e não brinque com ele.E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos,talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!"